domingo, 1 de fevereiro de 2009

Quero ser louco!


Loucura... Esse doce estado que estou prestes a cultivar. Torna-se doloroso o raciocínio de adesão à loucura, é uma opção razoável a de ser louco, é uma arte, um dom... Lido com loucos diariamente, diferentes de mim na loucura, pois sei apreciar a loucura e prefiro-a à beleza da sabedoria da indiferença. É mais que certo que todos nós somos loucos, à nossa medida, pois aquilo que me distingue de todos os outros são as virtudes das minhas proporções. Eu gosto de viver a minha loucura, gosto de a levar a extremos, de a concretizar, pois os melhores loucos são os mais sensatos, os mais coerentes os que se assumem diferentes neste mundo convencido da sua sanidade. A minha loucura concretiza-se nos meus sonhos, enquanto luto em busca da razão, que se torna na loucura de todos nós.
Terei todo o prazer em provocar as confidências de um louco, em encontrar a sua terrível honestidade e,cuja inocência só encontro igual em mim mesmo.
Assumo-me louco, sim assumo... Um dia mostrarei a todo o mundo a lucidez da minha loucura, num momento terno e adequado... Até lá utilizo a minha loucura para abrir caminhos para mais tarde todos os sensatos percorrerem o meu caminho, o caminho da loucura!

6 comentários:

Sílvia disse...

Já és louco amigo. Louco à tua maneira. Todos somos loucos à nossa maneira e acho que eramos muito infelizes se não tivessemos um pouco de loucura na nossa vida...

bj***

Daniel Silva (Sair das Palavras) disse...

Gostei muito. E vale só quase por isto: "sei apreciar a loucura e prefiro-a à beleza da sabedoria da indiferença."

hugs'n'smiles

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Ó Louko Oliveira

Belo blogue, sim senhores, quase tão bom como os rojões que já por diversas vezes comi em Braga com os meus Amigos Armanda (Nena) e Arménio Pires, donos da Ourivesaria Pires.

Sou o dono/gestor/propagandista/director/editor-chefe e redactor (com uma pandilha bué da fixe) do A Minha Travessa do Ferreira que visitaste.

Li o teu cumentário, com o, ao WolfHeart, meu colaborador. Ser governante é difícil - e há sempre a tentação de governar... se. Governar, ok; conjugado reflexamente, pqp!

Agora:

A) Inscreve-te nos meus seguidores. Eu já o fiz aqui.

B) Manda recados ao teu gang para que também o façam. E

C) Volta depressa ao meu covil. Óqueijo?

Abs

Bruno Fehr disse...

A fronteira é ténue entre a genialidade e a loucura e sao por vezes confundidas.

Grazi disse...

Quem pode dizer ao certo o que é ser louco? E o que é ser normal?
Ser for para ser feliz, prefiro viver intensamente como uma doce louca.
bjus

Anónimo disse...

Todos nós somos loucos, em diferentes porporções, mas todos temos a nossa quota parte de loucura. Afinal o que eramos nós sem um pouco de loucura, a não ser meros corpos amorfos?
Como já dizia Fernando Pessoa num dos seus poemas, "Sem a loucura que é o homem/ Mais que a besta sadia, Cadáver adiado que procria?"