segunda-feira, 22 de junho de 2009

Min Tid**


Há momentos em que o sonho permanece inacabado,
outros em que os dias se transformam em sonho.

Surgem figuras que nos amarram ao botão de "espera", onde as ilusões crescem, numa calamidade desgastada, perdida nas entrelinhas passageiras de um momento.

Possuo e desejo essas almas que me penetram a visão e, perante contradições inconscientes, saboreio o ofegante sabor da imaginação que de mim se apodera.



**(o meu momento)

5 comentários:

pinguim disse...

Tudo isso é normal; anormal seria não te sentires assim, de quando em vez...
Abraço.

João disse...

Momentos assim, são tão frequentes.. momentos de ilusão, de puro sonho nunca acabado, sem nunca se avistar um final, feliz ou infeliz, nada de nada. Apenas sonhos, nada de real, nada que se concretize.
(o meu momento ontem)
(o teu momento hoje).

Um abraço bem grande =)

Borboleta disse...

por muito que determinadas imagens te façam ficar agarrado ao botão de espera tens o poder sobre ti que te permite soltar-te e seguir em frente.
As ilusões não são mais do que desejos, e medos que nós, por falta de treino, não controlamos...

cumprimentos, Borboleta

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Por vezes, quando te leio - e este é um dos casos - mais do que a substância é a forma que atrai.

Todos os teus "sentires" são poemas. E neste em particular, não só uma vez mais está belo, como consegues uma resposta para o desencanto: "Possuo e desejo essas almas que me penetram a visão e, perante contradições inconscientes, saboreio o ofegante sabor da imaginação que de mim se apodera."

Aquele abraço

Cleó disse...

Coragem aperte o botão, mas se tiveres que escolher, escolha no meio da confusão o amor e fuja com ele para longe de todo o caos, pois a razão é o senso do que pensamos ser certo e o amor é além disso.
Saudações.