domingo, 24 de agosto de 2008

Definição




Parti à descoberta do meu próprio eu, e percebi que sou uma pessoa normal dentro da anormalidade, adoro distinção e não ser distinguido. Gosto de tudo que se move em meu redor, mas prefiro ficar estagnado, adoro mar e rios ao invés de lagos desencantados. Gosto de música acompanhada de uma boa sonoridade de silêncio. Valorizo a originalidade de gestos espontâneos e pontuais. Necessito de diferença, adoro conduzir, seguir as minhas convicções, detesto ser conduzido e contrariado. Gosto de uma boa recordação e de idealizar as situações menos prováveis, enquanto que viajo pelo meu passado sepultado em tais lembranças. Dificilmente invejo alguém e a sua vida, porém sinto pena e compaixão da vida de muitos. Adoro contrariar, como por exemplo puxar quando deveria empurrar e vice-versa, sinto-me realizado ao tentar contestar aquilo que muitos dão como dados adquiridos. Sinto-me livre quando ando à chuva e me molho todo, no entanto odeio ter os pés molhados. Amo a minha liberdade... irrita-me a liberdade de muitos. Gosto da Suécia, odeio a França. Gosto de brincar com as pessoas, gosto que olhem para mim, detesto que me ignorem, que me critiquem e que me desvalorizem. Amo chorar e rir quando estou sozinho, adoro chorar de alegria. Gosto de me encostar a qualquer coisa e sonhar, no entanto, detesto acordar quando estou a sonhar. Gosto daquelas alturas em que venho para a rua sem destino nem rumo e... ando, ando e, ando... e quando dou por mim estou perdido. Adoro pensar e dizer coisas que sei que nunca as vou cumprir, mas pelo menos fica o desafio de as realizar. Amo sotaques, porém odeio quando falam mal, como o "ha-des", o "prontos", o "houveram", etc, etc... Amo o meu sorriso, no entanto odeio sorrir, gosto do meu cabelo e ao mesmo tempo detesto pentear-me. Gosto de perfumes, mas odeio o perfume dos outros, não é inveja nem nada do género! Detesto quando planeio toda a minha vida passo a passo e nada sai como queria, gosto de ser surpreendido pelas pessoas com coisas agradáveis. Adoro receber presentes... e detesto ter que oferecer, pois as ideias são sempre as mesmas.
Gosto de viver com a curiosidade de saber como é a morte.

Gosto de mim, por ser assim, cheio de contradições mas com a certeza daquilo que quero e daquilo que odeio.

1 comentário:

silvia disse...

és um bocado antagónico nao? xD gostei