sábado, 16 de agosto de 2008

Estado: Incógnita (√ў.∏® -> ???)

É assim que me sinto, uma equação sem qualquer tipo de possibilidade de resolução paira em mim. Tento encontrar um resultado, uma saída, a solução... mas não consigo. Desespero por um sinal, uma decisão e, quando tudo parece estar a fazer sentido uma nova fracção, uma incógnita junta-se à equação e volta tudo ao início. Novos trabalhos, novos pensamentos, novo esforço mental, tudo isto desgasta-me, dá-me vontade de abandonar tudo e partir, partir para bem longe. Porém... a "matemática" é uma língua universal, todos os cálculos que me perseguiam aqui, acompanhar-me-ão para todo o lado. Porque...

Porque sou insasiável por natureza, porque desejo e ambiciono aquilo que não tenho, porque sinto falta daquilo que não é meu, porque escolho o errado, porque... ??? ...


Vou continuar a procurar a quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só

Quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi

António Variações



António Variações - "Estou além"

1 comentário:

silvia disse...

apesar de tudo dizem que a matematica é exacta, logo nunca falha... nao deseperes =)