terça-feira, 28 de abril de 2009

Imperfeições disfarçadas

Encontrei no reino da Perfeição pequenos defeitos que peculiarmente me caracterizam e que tão engraçados se tornam! Porém, descobri que essa obra d'arte que um dia me tornei não passou de um insignificante esboço que outrora o artista traçou e rasgou quando verificou que as imperfeições eram mais que muitas. Sou uma espécie de plágio que imita diariamente esse modelo que tantos seguem e me acusam de ser um plano barato, sem originalidade na sua criação. Profanei toda a originalidade do criador que me castigou com traços rasgados em todo o meu ser sem piedade, sem pena, sem o mínimo de respeito pela obra que sou. Hoje, revejo-me nas frustrações inúteis dessas imperfeições que insistem em personificar o perfeito idealizado pela sociedade podre que rejeita, nega e afasta o diferente que há em mim!


HELMUT FRITZ - "ça m'énerve"

5 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Mas que belo texto...

Roberta Albano disse...

ninguém é perfeito fora de um contexto

pinguim disse...

Surpreendes-me imenso, e num sentido grandemente positivo, em relação à idade que tens.
O que escreves faz sentido e há muito "boa gente" com idade mais que suficiente que escreve coisas só por escrever...
Abraço.

Anónimo disse...

devias ter contacto... um e-mail...

Plínio Gomes disse...

As imperfeições não existem, o que existe é pontos de vista e vistas de um ponto. Lindo texto.
Abraço perfumado