quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Tristes... Putas!

Foi encostada a uma capela, perdida na floresta, ao virar da colina sombria que te encontrei, perdida nos escombros desse templo da religião. Repleta de fragmentos antigos com bocas perdidas em gritos. Um cenário de tortura de alguém que ousou ser diferente. Um pequeno pormenor de se ter ou não fé, que te levou a um final fatal. Quiça, porém, sei que tinha a cabeça rapada, que vestia de negro e tinha o corpo preenchido de afectos milenares. Os comuns riam-se do ser, da tentativa de imacular uma mulher. Afirmavam que a fortuna de lhe tocar na cabeça seria um acto luxurioso, de prazer ou de amor talvez.
Especial, diferente!? Não me parece, não passas de uma Puta desajeitada que ousaste ser diferente e agora apodreces no silêncio dos teus pecados. Imagem que me proporciona diversos sentimentos, riso ou choro!? Definitivamente, riso! Riso de como te subjogaste nessa vida mundana, nesse desejo de comprar o teu futuro e agora descansas em paz. A tua indisponibilidade decorre numa vida paralela à minha, onde nos tranformamos em meras circunstâncias perdidas nessa imensidão do infinito.
Ousaste falar de amor na pior altura, já quando o teu estado te obrigou a tal e, no fim de contas, não passavas de um ser vulgar, num objecto usado.
Perco-me, na imagem dessa Puta, não existe outro termo para a definir, afinal de contas, uma mulher que é violada e torturada, dilacerada e cuspida, esventrada e esfolada é uma Puta! Sim, uma Puta e das vulgares!

O que irá na cabeça das Putas...

Carmina Burano "o fortuna"

10 comentários:

pinguim disse...

Será que te referes àquilo em que estou a pensar?

Bernardo disse...

Bom post ^^

O amanhecer acontece ... disse...

gostei muito deste texto. E da verdade que dizes nele !

Fábio Paulos disse...

so' elas saberam o que lhes vai na cabeça!!!

abracos

EDUARDO POISL disse...

FELICIDADE!

Quando o vento bater à sua porta,
Abra devagar,
Para deixa-lo entrar
Pense quanto de bom poderá receber,
Se estiver pronto para tal,
Mas as conquistas diárias
Estamos sempre apostando tudo
e a cada recomeço,
Percebemos, o quanto é gratificante,
Estar pôr perto de quem se gosta de verdade,
Sua simpatia,
Corresponde o momento de felicidade
e transborda de alegria
o coração de quem recebe.

(Roseli Alcântara)

Desejo toda a felicidade neste domingo.
Um grande abraço.

Carla V disse...

Boa pergunta, que lhes irá na cabeça? ^o)
Bom post, e acho que vou começar a acompanhar o teu blog :)

Rabisco disse...

Gostei!

Essa é uma pergunta com barbas...

;)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Um texto forte, quase pessoal, mas tem o seu quê de reflexivo...

abraço

Juky disse...

Já alguém disse que "a razão tem razões que a própria razão desconhece!"

Gostei do texto! :)

impulsos disse...

Um texto excelente.
Repito, excelente!