sábado, 1 de Agosto de 2009

Mar de Aral


Ó tão dolorosa morte, que mata muitos e atinge tão poucos, mar belo,vivo e intenso que agora vai desaparecendo dia após dia. Histórias, lembranças com ele vão desparecendo no infinito, resultado da inconsciência consciente do Homem, da ganância de poder! Pobre mar, pobre natureza, pobre ser humano, tão sábio e tão ignorante que te auto-destróis. Apelidada de louca, uma mulher guardou o mar em pequenas garrafas, de modo a não perder recordações nem lembraças de tal maravilha.

Já foi a 4ª maior superfície de água salgada do planeta, mas está reduzido a 3 lagos que, somados, têm 1/4 do volume original. Este mar foi vítima de planos de irrigação dos campos de algodão criados pelo regime soviético em 1918. Os rios que o alimentavam foram desviados e, em 2005, construiu-se um dique que visa evitar a morte anunciada deste mar.


3 comentários:

Paulo disse...

.

estarreço perante o grito

.

a ser salvação aqui

.

. abraço.TE Hugo .
. um bom fim de semana .

pinguim disse...

Com crimes contra a Natureza como este, onde vai parar o mundo????

Bruce disse...

Esta nossa imprudência, esta nossa irresponsabilidade vai levar-nos ao limiar da extinção e se calhar mais cedo do que alguma vez previmos.

É triste ver um ícone da região e do mundo destruído pela ganância da raça humana.

:clap: human beings