domingo, 27 de abril de 2008

Espelho... espelho meu...




Malditos espelhos, que mostram aquilo que não queremos ver. No entanto o simples objecto que é um espelho apenas é inimigo daqueles que não querem ver, dizem sempre a verdade, transmitem a realidade. Questiono-me sobre a maldade que os espelhos nos fizeram para tanto os odiarmos, eles não são o Judas, nem muito menos Narciso, uma vez que não ficam horas a olharem-se a si próprios, apenas mostram aquilo que lhes põem à frente...

Todos os dias olhamo-nos ao espelho e vemos uma pequena parte de nós... Agora imaginem uma imensidão de espelhos a mostrarem-nos aquilo que todos vêem, excepto nós... É estranho saber que os outros conhecem melhor o nosso corpo que nós mesmos... Dói! Que fazer!? Partir todos os espelhos!? ... não resulta... Cegar aqueles que nos rodeiam!? ... impossível... Injuriar todos os espelhos seria uma boa hipótese, dizer cobras e lagartos de todos eles... No entanto fico a pensar... Que mal fizeram as cobras e os lagartos para serem usados com um sentido tão prejurativo??? Não compreendo... Tudo bem que são animais pouco simpáticos (na minha opinião), mas são seres vivos, merecem o respeito pela sua classe animal... Portanto, dizer cobras e lagartos dos espelhos não, por respeito a estes animais...

Chego a uma conclusão: há que aceitar a realidade, viver tal e qual como somos. Os espelhos até são nossos amigos, pois transmitem-nos verdadeiramente, mostram a nossa essência... Que tal criar um dia nacional/mundial dos espelhos? ... Pensem nisto!

1 comentário:

bio disse...

belo post... acho que toda a gente tem um bocado uma relaçao amor/odio com o espelho, dependendo dos dias... penso que aquilo que vemos no espelho reflecte o nosso estado de espirito so isso e nada mais... nao é um bicho de sete cabeças..

gostei muito da parte das cobras e lagartos =)... apesar de supostamente eu ate devia simpatizar mas definitivamente nao dá