domingo, 27 de abril de 2008

Bem-me-quer... Mal-me-quer...




"A vida, esta vida que inapelavelmente, pétala a pétala, vai desfolhando o tempo, parece, nestes meus dias, ter parado no bem-me-quer..."

José Saramago, in Cadernos de Lanzarote (Cadernos I e II)


Bem-me-quer... Malmequer... uma a uma lá se vai mais uma pétala dos meus sonhos...

Mal-me-quer que só me contas o que eu quero ouvir... É bom isso, por vezes sabe bem, um finjimento de sentimentos, um ocultar da verdade, sem malícia sabe bem... Nem que tenhamos que acordar mais tarde e perceber que não era bem assim... Não me importo!!! Quero sentir-me assim, num jogo em que os códigos e gestos obrigam-nos a fazer as melhores opções... Obrigado mal-me-quer por me conheceres tão bem!

1 comentário:

silvia disse...

será tristeza aquilo que eu noto?