quinta-feira, 1 de julho de 2010

(In)Seguro


Preso, sufocado, persisto,
(re)invento o conceito que me angustia ao som de gemidos desesperantes,
enquanto a calma invade o meu ego isolado
doloroso, perturbador, desisto.

(des)orientado busco o desconhecido,
a inquietude da tranquilidade que me persegue,
a verocidade do gesto ausente,
silêncio, calma, fuga!
Quero, procuro, (des)espero,
pelo segundo eterno da dor de não te ter
Pela ausência do presente dissipado,
Forte, crente, eterno!
... Tu *

5 comentários:

T disse...

Tens de escrever mais do que tens feito ultimamente pá.

Sôfrego disse...

Amigo todos procuramos um tu na nossa vida. Que a torne um nós. Até acertarmos.... é sofrer dessa insegurança de que falas.

um cigarro. disse...

tenho dito.

Louise Oliveira disse...

Gostei muito daqui, voltarei.
Bjs! Lu

nelia disse...

quem é a tua metade?