terça-feira, 17 de novembro de 2009

Descanso, o eterno!


Sente a minha dor,
Absorve-me,
Possui-me,
E sente a dor que me enlouquece,
Liberta-me!
Liberta-me, descobre-me, descobre os sinais que suavizam a dor,
Acolhe-me e deduz os sinais que me mutilam,
Os que distorcem o sentido da dor.
Abraça-me,
Atenua esta dor que me perturba e...
Liberta-me!
Rei, Senhor de louvores, e inimagináveis poderes,
Solta-me deste sofrimento que consome e permanece,
Permanece em mim.

2 comentários:

EDUARDO POISL disse...

Muito lindo.
Abraços

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"Liberta-me, descobre-me, descobre os sinais que suavizam a dor"

E assim acontece nos rasgos de quem limpa uma alma...